O que é zumbido? Quais as causas?

Qualquer som que se escuta mas não existe no ambiente é chamado zumbido (e seus outros nomes: acúfeno ou  tinnitus) que pode ser percebido em um ouvido só, em ambos, ou no meio da cabeça. Cada pessoa descreve o som ouvido de uma maneira (chiado, panela de pressão, grilo, pulsação, cigarra, bater de asas etc). Pode ser constante,  intermitente (vai e volta repetidamente) ou pode ocorrer apenas em situações específicas (ex: silêncio). É considerado um sintoma de alteração nas vias auditivas, mas para entender melhor isso, primeiro temos que conhecer alguns conceitos básicos sobre audição. 

Antes, tenho que esclarecer que ouvido e orelha são sinônimos, sendo orelha a nomenclatura técnica.

Orelha interna – anatomia e fisiologia

Figura1- Anatomia da orelha

Esta é orelha, e a parte destacada é a orelha interna. Ela é dividida, simplificadamente, em cóclea/labirinto anterior – responsável pela audição, muito relevante quando estudamos zumbido e labirinto posterior- conjunto de canais semicirculares, sáculo,utrículo- responsável pelo equilíbrio (importante quando estudamos tontura). 

Por agora, vamos nos concentrar na cóclea, já que o tema é zumbido. Mas, adiante falarei mais sobre o labirinto (quando eu abordar a tontura). A cóclea tem a estrutura semelhante a um caracol, com um canal que dá 2 voltas e meia sobre seu eixo.

Figura 2- estrutura da cóclea

Essa é a visão interna da cóclea. Ela é divida em 3 “túneis” cheios de líquido: a rampa timpânica, média e vestibular.  A rampa média é a mais importante, já que o órgão de Corti está localizado nela. O órgão de Corti é a menor estrutura responsável pela audição, e contém as células ciliadas, que são as terminações nervosas do nervo auditivo. A composição do líquido dentro do órgão de corti é regulada pela estria vascular, órgão que leva sangue e nutrientes necessários para o seu correto funcionamento.

As terminações nervosas das células ciliadas se juntam e formam o nervo auditivo, que por sua vez se junta ao nervo coclear,  e aí formam o nervo vestibulococlear (VIII nervo craniano, que leva essas informações (equilíbrio e audição) para o sistema nervoso central através da rede complexa da figura abaixo:

Figura 3- vias auditivas centrais

A parte do cérebro responsável pela audição é o córtex cerebral, que tem conexões com outras áreas do cérebro, principalmente sistema límbico e sistema nervoso autônomo,motivo pelo qual influencia em áreas de atenção, memória e humor. 

Outro conceito importante é da tonotopia da cóclea e do córtex auditivo, o que significa que cada parte desses órgãos é responsável por uma faixa sonora específica de frequência sonora. Na cóclea, a parte mais inferior (espira basal- primeira volta)  é responsável pelos sons agudos e as partes mais altas (espira apical- última volta) pelos sons graves. 

Figura 4 – Tonopotia da cóclea e do córtex auditivo

Causas de zumbido – Tinnitus/Acúfeno

É considerado um sintoma de alteração nas vias auditivas, que pode ter diversas causas, desde de doenças próprias da cóclea – como perda auditiva, até doenças que afetam o ouvido secundariamente, como medicações, doenças metabólicas, cardiovasculares, neurológicas, odontológicas e psiquiátricas. Além disso, várias causas podem estar associadas na mesma pessoa. Por isso, é importante uma avaliação completa da região da cabeça e pescoço, além da análise da saúde geral do paciente. Consequentemente, isso demanda tempo, algumas consultas e vários exames.

Mecanismo de geração do zumbido

De maneira geral, algumas dessas causas lesa as células ciliadas e diminui a atividade delas, motivo porque elas mandam menos informações para o córtex auditivo.  Para compensar essa diminuição , áreas auditivas do sistema nervoso central aumentam sua atividade , o que gera a sensação de zumbido. 

Abaixo está o modelo de Jastreboff, que explica como o zumbido é gerado e mantido.

Figura5-modelo de Jasterboff

De forma simples, a geração do zumbido ocorre no sistema auditivo periférico (cóclea), detectado nos centros auditivos subcorticais  (lembrando da fig3, seria toda a área entre o nervo auditivo e o córtex auditivo), e a percepção ocorre no córtex auditivo, com significativa participação do sistema límbico (responsável pelas emoções) e do sistema nervoso autônomo (responsável pelas sensações físicas – taquicardia, suor frio,” frio na barriga”). 

Habituação: conceito chave para tratamento do zumbido

Quando um som é percebido, pode ser rapidamente ignorado (ex.: som do ar condicionado, barulho de pessoas conversando do seu lado ou o próprio zumbido), o que é chamado de habituação. Algumas pessoas, contudo, associam esse som a fatores negativos​, tais como: medo de tumor cerebral, perda auditiva ou de piora progressiva, dentre outros; e, quanto mais se preocupam e se concentram em sua presença, mais evidente ele se torna. Portanto, o grau de incômodo do zumbido não é proporcional a intensidade do som, e sim ao significado que a pessoa dá ao som.

Figura 6- ciclo vicioso do zumbido

Qual é o tratamento para o zumbido?

Em suma, para tratar o zumbido é necessário:

1- Conhecer a causa do zumbido

2- Tratar a causa do zumbido

3- Aconselhamento: explicar o que é o zumbido, entender os medos do paciente, para conseguir mudar o significado que o paciente deu ao zumbido

4- Habituação: cérebro para de dar atenção ao zumbido, e pessoa para de se incomodar com o zumbido e por fim para de perceber o zumbido

2 comentários em “O que é zumbido? Quais as causas?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: