Como me preparar para consulta de zumbido e tontura?

Neste post, vou dar dicas de como se preparar antes da consulta específica de tontura e/ou zumbido, e ajudar seu médico a chegar em um diagnóstico mais rápido.

1- Preste atenção na duração do seu sintoma. Há quanto tempo está sentindo? Começou subitamente ou foi aparecendo aos poucos? Iniciou após algum evento importante na sua vida (ex: após explosão, após cirurgia, após acidente, durante período de depressão, após iniciar ou aumentar dose de algum remédio, durante um resfriado ou outra virose). É constante? Ou vai e volta? Quando aparece, fica por quanto tempo antes de sumir? 

2- Tente descrever o seu sintoma da forma mais detalhada possível. Por exemplo, se for zumbido, tente descrever o som que escuta (ex: grilo, motor de geladeira, bater de asa de insetos, apito, pulsação, martelo). Já se for tontura, é como se tudo rodasse, ou se você tivesse com a cabeça oca/leve, pisando em ovos, flutuando, desequilibrando, andando em zigue-zague, ou vista escurecendo e sensação de desmaio ou perda das forças?

3- Fatores de melhora ou piora. Já reparou em algo que faz o sintoma melhorar ou piorar? Preste atenção principalmente no silêncio, ambiente ruidoso, nervosismo, horário do dia, movimentos de cabeça e pescoço, dor na cabeça, pescoço e ombros, posição (deitado, para qual lado, sentado, em pé, durante o trabalho ou durante atividade física), período menstrual, bruxismo, alimentação, jejum prolongado, cansaço.

4- Já fez algum tratamento anterior, mesmo que não tenha sido prescrito por médico ou que seja medicação natural, ou mesmo que seja há muitos anos atrás? Se for remédio, leve o nome da medicação, a dosagem, tempo de uso e relate os efeitos que você sentiu. Se for terapia, por exemplo fisioterapia, tratamento ortodôntico, acupuntura, leve todos os documentos desse tratamento e descreva o mais detalhadamente possível. 

5- Já fez exames anteriormente para investigar seu sintoma? Então leve todos eles, mesmo que sejam muito antigos. Também leve seus últimos exames de sangue. Outros exames que não são específicos para ouvido mas  que podem interessar são exames de coluna cervical e crânio (seja rx, tomografia, ressonância), ultrassom de região cervical e carótidas.  Importante acrescentar que exames não vão para o lixo! Guarde todos! 

6- Toma algum remédio ou suplemento diariamente para outra doença ou condição (mesmo que seja medicação natural ou não receitada por médico)? Leve o nome das medicações, a dosagem e o tempo de uso.

7- Tem alguém na família com sintomas parecidos, principalmente se for perda auditiva? Se sim, pergunte a esse familiar qual é o diagnóstico dele, porque pode ser o seu.

8- Preste atenção no quanto esse sintoma impacta na sua vida. Atrapalha o sono, ou o trabalho, ou suas atividades sociais ou uma atividade específica? Ou impede que você faça alguma delas? Ou não impacta, e você só quer tirar alguma dúvida ou se tranquilizar em relação ao sintoma.

9- Já fez algum tratamento otorrinolaringológico (ouvido, nariz e garganta) antes? Ou odontológico? Ou de alguma outra doença importante (ex: quimio e radioterapia, internação para tratar infecções, uso de antibiótico frequente na infância)? Para qual doença? Fez cirurgia? Se sim, tente levar o sumário de alta (que é outra coisa que não se joga fora nunca).

Seguindo esses conselhos, sua consulta fica mais rápida, mais objetiva e o médica chega a seu diagnóstico e tratamento mais facilmente.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: