VERTIGEM VISUAL

Este é um texto detalhado sobre conceito, sintomas, diagnostico e tratamento de vertigem visual. Se você deseja um texto, rápido, clique aqui.

DEFINIÇÃO

Lembra quando falei que o nosso equilíbrio é feito pelo sistema vestibular, visão e propriocepção? Em geral, o sistema vestibular é predominante, mas certas pessoas dão preferência às informações visuais, o que gera um tipo específico de  tontura, chamada de vertigem visual, ou dependência visual ou ainda tonturas visualmente induzidas.

SINTOMAS

São pacientes com queixa de tontura crônica, do tipo mal estar, desorientação,  visão embaçada ou névoa visual (sensação de flocos de neve no campo visual), que piora em ambientes “visualmente movimentados”, como andar entre as prateleiras de supermercado, shoppings, multidões em movimento, trânsito, filmes com cenas de perseguição em carros, luzes de discoteca,  telas de computador ou celular que mudam constantemente, visualizar o movimento de grande objetos visuais (como nuvens, árvores balançadas pelo vento, água correndo-rio- e ao dirigir). Fotofobia (mal estar em locais com muita luz), dificuldade visuo-espacial (dificuldade de perceber distância e profundidade), aura visual (manchas na visão ou pontos cintilantes em pacientes com enxaqueca) também são queixas comuns.

FISIOPATOLOGIA

Pode ocorrer de maneira espontânea, mas muitas vezes ocorre no processo de recuperação de uma doença do labirinto, especialmente  tontura perceptual postural persistente, mas também  migrânea vestibular e hipofunção vestibular. Sabemos que todos os pacientes com lesões vestibulares têm tendência de ser influenciados por estímulos visuais, como parte do processo de substituição sensorial que ocorre durante a compensação vestibular. Ora, se o labirinto não funciona bem, o corpo passa a procurar outros sinais (visão e propriocepção) para manter o equilíbrio, e é aí que começam a aparecer os sintomas. O paciente diz que muda o tipo de tontura. Por exemplo, no início o paciente queixava de tontura aos movimentos da cabeça, mas depois de um tempo começa a ter tontura quando anda em rua movimentada. 

DIAGNÓSTICO

A posturografia dinâmica ou teste de organização sensorial ou a vertical visual subjetiva dinâmica dão o diagnóstico de certeza, mas não são exames facilmente disponíveis no nosso dia a dia, motivo porque muitas vezes o diagnóstico é feito pelos sintomas e história clínica. 

É muito importante que seja corretamente detectada, principalmente quando ocorre secundariamente a uma doença do labirinto, porque os exercícios de reabilitação vestibular precisam ser modificados para o paciente terminar de melhorar. 

Figura 1- Aparelho de posturografia dinâmica
Figura 2- Posições testadas no exame de posturagrafia dinâmica
Figura 3- Exemplo de resultado de posturografia

TRATAMENTO

O tratamento é com reabilitação vestibular, através de exposição progressiva aos estímulos de movimento visual e ao conflito visuovestibular, além de estímulos optocinéticos. Além disso, é importante o tratamento da doença vestibular subjacente e, às vezes, uso de medicações, como antidepressivos. 

Figura 4- Posturografia de um paciente com alteração vestibular e visual antes e depois da reabilitação vestibular. 

Dra Kênia Assis Chaves

Médica Otorrinolaringologista

CRMMG 52018

RQE 33072

Quer agendar uma consulta? Acesse nossa página de agendamento

%d blogueiros gostam disto: